6 razões porque ser divertido faz de si um colega de trabalho melhor
Especiais

6 razões porque ser divertido faz de si um colega de trabalho melhor

Em “The Gap: The Science of What Separates Us from Other Animals”, o professor de Psicologia Thomas Suddendorf explora a questão que os filósofos têm debatido durante milhares de anos: o que torna os seres humanos únicos entre todas as outras espécies existentes hoje, sem esquecer os milhões de anos em que a vida existe no planeta?

Obviamente, estudou fatores como discurso, agricultura, ferramentas e colaboração, mas salientou que “se descermos a fasquia, podemos concluir que os papagaios podem falar, as formigas têm agricultura, os corvos fazem ferramentas e as abelhas cooperam em grande escala”.

Embora seja verdade que decididamente somos melhores na maioria das coisas que outros animais conseguem fazer, Suddendorf sugere que existem duas características importantes que realmente nos distinguem: “A nossa capacidade ilimitada de imaginar e refletir sobre situações diferentes, e o nosso impulso profundo para ligar as nossas mentes que definem cenários em conjunto”.

É aqui que entra o ato de brincar. Enquanto muitos outros animais só usam o ato de brincar para criar vínculos sociais (imagine dois cachorros Golden Retriever a lutar), os seres humanos usam o ato de brincar como uma forma de despertar a imaginação em nós e nos outros para crescer, aprender e influenciar o mundo à nossa volta.

Em defesa do ato de brincar

Brincar é talvez o nosso primeiro ato consciente e é um elemento fundamental do que significa ser humano. A partir do segundo em que um bebé pode sorrir, a sua mãe irá brincar de esconde-esconde ou fazer ruídos para o fazer rir. Com aquele primeiro som, começa uma vida inteira de brincadeira. Da criança pequena ao fim da adolescência, a sociedade dá prioridade ao facto de lhe proporcionar brinquedos, atividades e muito tempo não estruturado com a família e os amigos para brincar, construir, criar e fingir.

Mas quando chega ao mundo do trabalho, pode parecer que o ato de brincar é menos importante, visto que é mais difícil de conciliar com as responsabilidades de todos os dias. No entanto, o ato de brincar é tão importante para os adultos como para as crianças, especialmente no que diz respeito a ser um bom colega de trabalho. Aqui estão as seis principais razões para isso:

1. Brincar permite-lhe ser mais positivo

" width=

De acordo com o investigador sobre o ato de brincar, Dr. Stuart Brown, “os adultos que não brincam muitas vezes são rígidos, sem sentido de humor, inflexíveis e resistentes a experimentar novas opções”. Podemos portanto assumir que os adultos que são divertidos têm mais probabilidades de ser adaptáveis e abordam as situações com um espírito positivo e uma mente aberta.

2. Brincar melhora a memória

" width=

Nos “Annals of the Brazilian Academy of Sciences”, a neurocientista pioneira Marian Diamond descobriu que o ato de brincar afeta o tamanho e as reações químicas do cérebro. Como resultado, indivíduos adultos que foram expostos a ambientes mais enriquecidos e divertidos conseguiram desenvolver novas células nervosas no giro denteado, a área do cérebro que lida com o processamento da memória.

3. Brincar permite-lhe ser mais motivado

" width=

Na “European Journal of Humour Research”, o professor de Psicologia, René Proyer, descobriu que os adultos divertidos sentem mais satisfação com a vida, o que aumenta a motivação para concluir tarefas. E no seu livro “Beyond Boredom and Anxiety: The Experience of Play in Work and Games”, o psicólogo Mihaly Csikszentmihalyi descobriu que o mesmo tipo de concentração que ocorre durante o ato de brincar também pode ocorrer no trabalho, fazendo com que as pessoas esqueçam o relógio ou as recompensas para transformar o próprio processo do trabalho na recompensa.

4. Brincar aumenta a satisfação profissional

" width=

Na “International Journal of Technology Management”, a especialista em política da saúde Ping Yu e a sua equipa realizaram um estudo de quase 1500 profissionais de Taiwan, revelando que o ato de brincar estava relacionado de forma positiva com a satisfação profissional e o desempenho no trabalho.

5. Brincar permite-lhe ser mais inovador

" width=

Stuart Brown defende que o ato de brincar devia ser a iniciativa empresarial prioritária porque “melhora a capacidade de inovar, adaptar e dominar a evolução das circunstâncias. Não é apenas uma fuga. Pode ajudar-nos a integrar e a harmonizar circunstâncias difíceis ou contraditórias”. Isto é extremamente importante no que diz respeito a lidar com a natureza imprevisível de muitos trabalhos. Uma mente divertida tem mais probabilidades de enfrentar quaisquer desafios que surjam no trabalho e de chegar a soluções inovadoras.

6. Brincar reduz o stress

" width=

Na revista académica “Leisure Sciences”, os investigadores Cale Magnuson e Lynn Barnett descobriram que adultos divertidos revelavam menos stress na sua vida e possuíam melhores capacidades de lidar com problemas. De acordo com a sua pesquisa, “indivíduos divertidos, embora não necessariamente sujeitos a menos stress, podem possuir uma perspetiva diferente durante o processo de avaliação inicial. Isto pode permitir que as pessoas divertidas avaliem situações, que normalmente seriam vistas como um evento stressante, por pessoas menos divertidas, como sendo significativamente menos stressante.”

Lembre-se de que nem todos os adultos brincam da mesma maneira. Na revista académica “Personality and Individual Differences”, Proyer apresentou os quatro tipos básicos de adultos divertidos: o divertido exteriormente; o descontraído e sem preocupações; os que preferem brincar com pensamentos e ideias; e aqueles que são mais extravagantes e se divertem com pequenas observações pessoais de todos os dias.

Integrar o ato de brincar no quotidiano

Brincar é tão importante para o nosso bem-estar como comer os alimentos certos, fazer exercício e ter uma boa noite de sono. Na sua TED talk sobre a importância do ato de brincar, Brown afirmou: “O oposto do ato de brincar não é o trabalho; é a depressão.” Uma vida sem brincadeira pode provocar sentimentos de mau humor, rigidez e vitimização. Isto significa que o ato de brincar, tal como o sono, não pode esperar até às suas próximas férias – tem de fazer parte do dia-a-dia!

A boa notícia é que o ato de brincar pode surgir em qualquer lugar e em toda a parte, incluindo no escritório. As caraterísticas do ato de brincar, muitas vezes são divertimento, espontaneidade e interatividade. Que podem ser facilmente preenchidas com um jogo rápido no seu telemóvel entre reuniões, aderindo a uma competição de fitness com os seus colegas, ignorando a cafetaria para um jogo rápido de futebol com os amigos na hora do almoço, ou até definindo um desafio auto-imposto, como terminar uma tarefa de rotina num tempo recorde. Para mais ideias sobre como integrar o ato de brincar no escritório, consulte os nossos artigos sobre jogos para crianças para melhorar a vida e as atividades de trabalho a fim de estimular a inovação.

Depois do trabalho, dedique pelo menos algum tempo a algo divertido, como tocar um instrumento, ler um livro, fazer palavras cruzadas ou trabalhar num projeto paralelo. Tenha em conta o seu tipo de personalidade para encontrar o estilo de brincadeira que lhe permite recarregar baterias; se gostar mais de puzzles, um desporto radical pode ser tão esgotante como não brincar de todo.